O sentido nas orações adjetivas

João Bolognesi

Muitas vezes, uma vírgula altera o sentido de uma frase. Isso já foi muito bem usado em uma propaganda da Associação Brasileira de Imprensa em comemoração aos seus 100 anos de existência:

A Vírgula

A vírgula pode ser uma pausa…ou não.
Não, espere.
Não espere.
Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.
Pode ser autoritária.
Aceito, obrigado.
Aceito obrigado.
Pode criar heróis.
Isso só, ele resolve.
Isso, só ele resolve.
E vilões.
Esse, juiz, é corrupto.
Esse juiz é corrupto.
Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.
A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.
Uma vírgula muda tudo.

Outro exemplo em que a vírgula faz toda a diferença:

O poder da vírgula: “Se o homem soubesse o valor que tem a mulher andaria de quatro à sua procura.”
(Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de mulher.)
(Se você for homem, certamente colocou a vírgula depois de tem.)

É óbvio que tudo isso traz um elemento interpretativo interessante para as questões de concurso público. Há, porém, uma estrutura que pula à frente e se torna líder de atenção: é a oração adjetiva. Observe as frases seguintes:

1- Destacam-se os jornalistas, que defendem a liberdade de expressão.

2- Destacam-se os jornalistas que defendem a liberdade de expressão.

Você vê sentido diferente entre as frases? Se a resposta for “não”, cuidado, você será vítima de alguma questão de concurso público. Para evitar isso, siga o raciocínio.

Entre as orações, a mais simples de ser classificada é a oração subordinada adjetiva, pois ela é introduzida sempre pelo pronome relativo. Dessa forma, havendo pronome relativo, há oração adjetiva. Observe:

Conheço a pessoa que passou ali. O Brasil, que vem superando a crise, voltou a receber investimentos. O Banco de Brasil, que recentemente teve mudanças em sua diretoria, conseguiu reduzir os juros.

Para que a oração adjetiva seja classificada por completo, depende-se do uso da vírgula:

. a oração adjetiva explicativa sempre virá com vírgula:
São Paulo , que continua a ampliar sua vida cultural , inaugura novo museu esta semana.
(siga o raciocínio: pronome relativo => oração adjetiva => com vírgulas => explicativa)

. já a oração adjetiva restritiva virá sem vírgula:
Não reconheci o médico que nos atendeu no plantão de ontem.
(siga o raciocínio: pronome relativo => oração adjetiva => sem vírgula => restritiva)

Depois da classificação, agora vem a parte mais importante: o sentido produzido pela vírgula. Para que seja entendida a presença ou a ausência da vírgula nas orações adjetivas, são necessárias informações ora textuais, ora situacionais:

. a oração adjetiva restritiva sempre fará referência a uma parte de um todo, portanto essa identificação partitiva (a parte de um todo) nasce com o intuito de diferenciar um subgrupo dentro de um grupo maior:

As pessoas que solicitaram o cartão até o dia 10 receberão o pagamento antes (somente as que solicitaram o cartão até o dia 10 receberão o pagamento antes).

Destacam-se os jornalistas que defendem a liberdade de expressão (entre os jornalistas, só se refere aos que defendem a liberdade de expressão)

. a oração adjetiva explicativa, por sua vez, refere-se sempre a um todo, a um conjunto em sua totalidade; não se quer diferenciar, mas, sim, acrescentar uma informação suplementar:

As mulheres ocidentais, que no século XX passaram por mudanças profundas de costume, ainda vivem alguns dilemas pessoais (fica subentendido: as mulheres ocidentais como um todo passaram por mudanças profundas de costume, um atributo que atinge a todas elas).

Destacam-se os jornalistas, que defendem a liberdade de expressão (pressupõe que todo jornalista defende a liberdade de expressão, não há uma parte que se diferencie).

Como se notou, a vírgula causa toda a diferença. Sem entender o sentido que ela cria (quando presente ou quando ausente), as orações adjetivas são indecifráveis. Há nesse assunto ainda vários detalhes e sutilezas, a depender do contexto em que se dá a construção da frase, mas em geral nos concursos o raciocínio é: fala-se do todo (oração adjetiva explicativa) ou da parte do todo (oração adjetiva restritiva). Se a prova pergunta se há mudança de sentido, claro que sim, como se nota abaixo:

1- O brasileiro que é vagabundo busca em seu cotidiano formas criativas de sobrevivência.
2- O brasileiro, que é vagabundo, busca em seu cotidiano formas criativas de sobrevivência.

Uso a frase acima para o aluno que não entendeu nada. Brinco dizendo que agora ele aprende na prática. Em 1, entre os brasileiros, uma parte é vagabunda; em 2, todos somos vagabundos. Quem disser que não há diferença é porque não notou a clara distinção entre o geral (o todo) e a particularização (a parte do todo). Nas provas, o assunto é fértil e contínuo. Vamos conferir.

01. (ESAF) “A felicidade, que em si resultaria de um projeto temporal, reduz-se hoje ao mero prazer instantâneo derivado, de preferência, da dilatação do ego.”

As vírgulas após “felicidade” e “temporal” estão sendo empregadas para isolar uma oração adjetiva.

02. (ESAF) “…o processo de globalização está favorecendo o comércio exterior de países como o Brasil, que tem ainda muitas áreas inaproveitadas para expansão da lavoura.”

A vírgula após “Brasil” justifica-se por ser a oração subseqüente subordinada adjetiva explicativa.

03. (CESPE) “Segundo o ex-assessor especial de Lula, Frei Betto, que chegou recentemente de Cuba, os cubanos fazem sérias ressalvas ao processo chinês.”

O trecho “que chegou recentemente de Cuba” está entre vírgulas por tratar-se de oração subordinada adjetiva restritiva.

04. (CESPE) “Além dos intensos bombardeios aéreos, que mataram centenas de palestinos…”

O emprego de vírgula após “aéreos” justifica-se para isolar a oração de natureza restritiva subsequente.

05. (CESPE) “Nenhuma construção é averbada sem a comprovação do recolhimento das contribuições previdenciárias dos operários que trabalharam na respectiva obra, com a apresentação, no Registro de Imóveis, da Certidão Negativa de Débitos do INSS.”

Não há vírgula após “operários” porque a oração subseqüente tem valor restritivo.

06. (CESPE) “Trata-se do pronome demonstrativo, aquele que não é respeitado nem por jornalistas, que não têm o direito de errar.”

A retirada da vírgula que aparece após o termo “jornalistas” acarreta mudança sintático-semântica na oração subseqüente. Ela deixa de ser explicativa e se torna restritiva.

07. (ESAF) “Um estudo feito pela Universidade do Texas com empresas que sofreram uma perda catastrófica de dados concluiu que 43% jamais voltaram a operar, 51% faliram em dois anos e apenas 6% sobreviveram.”

O emprego de vírgula entre “empresas” e “que” e entre “dados” e “concluiu” seria inadequado, pois a informação que seria isolada tem natureza restritiva e passaria a explicativa, alterando o sentido do período.

08. (ESAF) “A Associação dos Bancos da Argentina (ABA), que reúne mais de 40 entidades, publicou um anúncio de página inteira nos principais jornais do país para pedir compreensão e demonstrar sua preocupação com os ataques que os bancos têm sofrido.”

A expressão “que reúne mais de 40 entidades” está entre vírgulas pela sua natureza explicativa.

09. (CESPE) “O impacto da Química sobre o meio ambiente é enorme, em função dos rejeitos dos processos industriais, que muitas vezes trazem sérios e irreversíveis prejuízos ao homem e à natureza.”

A vírgula que separa a oração adjetiva pode ser retirada sem prejuízo para a correção gramatical da frase, mas provoca alteração de sentido.

10. (CESPE) “As empresas que operam na informalidade não emitem nota fiscal e têm acesso precário ao crédito.”

A inserção de vírgula após a expressão “As empresas” mantém a correção gramatical e as informações originais do período.

11. (CESPE) “Daí a afirmação de que a esfera da política é a esfera das ações humanas instrumentais, que, como tais, devem ser julgadas não em si mesmas, mas com base na sua maior ou menor idoneidade para o alcance do fim.”

Se a vírgula que antecede o pronome relativo “que” fosse omitida, o sentido e a correção gramatical do texto seriam preservados.

12. (ESAF) “Era que, apesar de pobres, carregavam culturas milenares que lhes possibilitaram trabalhar e crescer socialmente.”

Introduzindo-se uma vírgula após a palavra “milenares”, confere-se à oração imediatamente subseqüente mais ênfase, sem prejuízo da correção gramatical e sem alteração do sentido original do período em que ela se insere.

13. (FCC) Atente para as seguintes frases:

I. O homem aplica-se em criar instituições, que podem lhe acarretar graves dissabores.

II. Os regimes autoritários, que decorrem diretamente do desvirtuamento das instituições, são os mais nefastos.

III. Não se impute defeito às instituições, cujo propósito essencial é permitir que os homens se organizem.

A supressão da(s) vírgula(s) acarretará alteração de sentido em

a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) II, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

14. (FCC) Atente para as seguintes frases:

I. Caberia aos homens de hoje, que despacharam as utopias, buscar revigorá-las.

II. Os sonhos coletivos, que alimentaram tempos passados, deram lugar aos afazeres imediatos.

III. Preocupa-nos, hoje, muito mais a agenda do dia do que um projeto de longo prazo.

A supressão das vírgulas altera o sentido da frase SOMENTE em
a) I e II
b) I e III
c) I
d) II
e) III

15. (FCC) A supressão da(s) vírgula(s) implicará alteração de sentido na frase:

a) Ao longo das últimas décadas, as obras de Umberto Eco vêm ganhando mais e mais respeitabilidade.
b) Umberto Eco homenageia os cientistas, que combatem o obscurantismo fundamentalista.
c) O grande pensador italiano, Umberto Eco, homenageia em seu texto a atitude de um grande cientista.
d) Na atitude de Stephen Hawking, há uma grandeza que todo cientista deveria imitar.
e) Não há como deixar de reconhecer, no texto de Umberto Eco, uma homenagem a Stephen Hawking.

GABARITO

1-Correto
2-Correto
3-Errado
4-Errado
5-Correto
6-Correto
7-Correto
8-Correto
9-Correto
10-Errado
11-Errado
12-Errado
13-E
14-A
15-B
Publicado por joao_bolognesi em Oração Adjetiva,Pronome Relativo,Vírgula - Comments (12)

12 comments

  1. Comentário by Renata on 21 de setembro de 2011 at 22:33

    João, na seguinte questão a resposta é a letra E. Compreendo a alteração de sentido to item III, mas e o item II ???

    (FCC) Considere as alterações no emprego dos sinais de pontuação nas frases abaixo:

    I. … está fixada hoje em 4,25%.
    … está fixada, hoje, em 4,25%.

    II. … para que se cumprisse o objetivo estabelecido,com três meses de antecedência.
    … para que se cumprisse o objetivo estabelecido com três meses de antecedência.

    III. … com encargos da dívida, que já atingiu R$ 120,2 bilhões…
    … com encargos da dívida que já atingiu R$ 120,2 bilhões…

    Com as alterações, houve também alteração de sentido SOMENTE em

    a) I b) III c) I e II d) I e III. e) II e III

    _____________________________________

    Renata,
    nesse caso, deve-se observar o novo vínculo e a mudança de sentido:
    - para que se cumprisse o objetivo estabelecido, com três meses de antecedência => o sentido é “para que se cumprisse com três meses de antecedência”
    - para que se cumprisse o objetivo estabelecido com três meses de antecedência => o sentido é “objetivo estabelecido com três meses de antecedência”

    Perceba que a “antecedência de três meses” muda com a ausência de pontuação.

    Bons estudos e boa sorte,
    João Bolognesi

  2. Comentário by Renata on 3 de outubro de 2011 at 23:51

    Muito Obrigada, João!!!!

  3. Comentário by Manoel Luiz on 7 de novembro de 2011 at 22:28

    Prezado Professor João, na questão a seguir não entendi porque o gabarito apresenta essa afirmativa como incorreta:

    “Nas últimas décadas, o cenário internacional tem sido marcado pela globalização, caracterizada
    pelo maior trânsito de informações e de tecnologia, que hoje cruzam com mais facilidade os limites dos Estados-nação.”

    O termo “que” é classificado como pronome relativo e retoma a expressão “maior trânsito de
    informações e de tecnologia”.

    Obrigado.

  4. Comentário by joao_bolognesi on 8 de novembro de 2011 at 15:59

    Manoel,
    sua dúvida foi postada.
    Bons estudos e boa sorte,
    João Bolognesi

  5. Comentário by Eduardo on 11 de janeiro de 2012 at 0:18

    Professor estou com uma dúvida… no caso de termos a seguinte frase:
    O aluno saiu e voltou depois. (a vírgula é facultativa antes do e? é proibida ou obrigatória?)
    E caso tenhamos sujeitos diferentes? devemos coloca-la obrigatoriamente entre as duas orações?
    ex. O aluno saiu, e o professor chegou.

    __________________________________________

    Eduardo,
    quando o “e” tem valor de “mas” ou liga orações com sujeitos diferentes, o uso é facultativo:
    O aluno saiu, e voltou depois. (e = mas)
    O aluno saiu, e o professor chegou. (sujeitos diferentes)

    Bons estudos e boa sorte,
    João Bolognesi

  6. Comentário by Denise on 19 de janeiro de 2012 at 5:23

    Bom dia, professor.
    Estou com uma dúvida em relação às orações adjetivas. Na seguinte frase:
    “Solidariedade” é o tema da redação. Meditei muito sobre solidariedade.
    Ao reecrevê-la empregando o pronome relativo, qual é a diferença em relação ao sentidos e à classificação das duas frases abaixo?
    “Solidariedade”, sobre o qual meditei muito, é o tema da redação.
    Meditei muito sobre “solidariedade”, que é o tema da redação.

    Desde já agradeço.

  7. Comentário by joao_bolognesi on 17 de março de 2012 at 18:12

    Eduardo,
    quando o “e” tem valor de “mas” ou liga orações com sujeitos diferentes, o uso é facultativo:
    O aluno saiu, e voltou depois. (e = mas)
    O aluno saiu, e o professor chegou. (sujeitos diferentes)

    Bons estudos e boa sorte,
    João Bolognesi

  8. Comentário by joao_bolognesi on 23 de março de 2012 at 1:44

    Bom dia, professor.
    Estou com uma dúvida em relação às orações adjetivas. Na seguinte frase:
    “Solidariedade” é o tema da redação. Meditei muito sobre solidariedade.
    Ao reecrevê-la empregando o pronome relativo, qual é a diferença em relação ao sentidos e à classificação das duas frases abaixo?
    “Solidariedade”, sobre o qual meditei muito, é o tema da redação.
    Meditei muito sobre “solidariedade”, que é o tema da redação.

    Desde já agradeço.

    _________________________________________

    Denise,
    nas construções enviadas, a diferença está só na oração escolhida para ser a subordinada, o que gera destaques diferentes, ora destacando uma ideia, ora outra.

    Reveja a construção e, se persistir a dúvida, faça contato.

    Bons estudos e boa sorte,
    João Bolgnesi

  9. Comentário by joao_bolognesi on 13 de maio de 2012 at 0:16

    Professor, quanto a questão 13, pq o item III está correto? Eu havia marcado apenas I e II (letra A portanto). Obrigada.

    _________________________________________________________________

    Andréa,
    no item III da questão 13, temos um “cujo”, pronome relativo.
    Portanto, a ele se aplica o mesmo raciocínio usado nos demais pronomes relativos. Observe a diferenciação:

    Não se impute defeito às instituições, cujo propósito essencial é permitir que os homens se organizem.
    1. cujo é pronome raltivo
    2. abre-se com ele uma oração sub. adjetiva
    3. há vírgula antes, portanto o sentido é “todas as instituições têm o propósito essencial de permitir os homens de se organizarem”
    4. se houver a retirada da vírgula, nasce um sentido diferente: “entre as instituições, há algumas com o propósito essencial de permitir os homens de se organizarem”

    Por isso, reveja o gabarito. A resposta correta é a alternativa E.

  10. Comentário by joao_bolognesi on 13 de novembro de 2012 at 14:50

    Na questão n°3, apesar de o termo “que chegou recentemente de Cuba” estar entre vírgulas, ele foi classificado como oração subordinada adjetiva restritiva, por quê?
    Eu o classificaria como oração subordinada adjetiva EXPLICATIVA.

    Muito Obrigada,
    Carolina

    ______________________________

    Carolina,
    na prova o gabarito de tal questão é E (errado).
    Seu raciocínio está correto, já que as vírgulas caracterizam a oração adjetiva explicativa.
    A questão, quando a classifica de oração adjetiva restritiva, produz uma informação errada.

    Bons estudos e boa sorte,
    João Bolognesi

  11. Comentário by joao_bolognesi on 13 de novembro de 2012 at 18:51

    Professor!

    (FCC) Considere as alterações no emprego dos sinais de pontuação nas frases abaixo:

    I. … está fixada hoje em 4,25%.
    … está fixada, hoje, em 4,25%.

    II. … para que se cumprisse o objetivo estabelecido,com três meses de antecedência.
    … para que se cumprisse o objetivo estabelecido com três meses de antecedência.

    III. … com encargos da dívida, que já atingiu R$ 120,2 bilhões…
    … com encargos da dívida que já atingiu R$ 120,2 bilhões…

    Com as alterações, houve também alteração de sentido SOMENTE em
    a) I b) III c) I e II d) I e III. e) II e III

    Por que na alternativa ” I ” não mudou o sentido??

    Cristiane

    ____________________________

    Cristiane,

    o adjunto adverbial “hoje” recebeu um par de vírgulas apenas para indicar o deslocamento.
    A ausência de vírgulas ali não implica alteração de sentido.

    Bons estudos e boa sorte,
    joão Bolognesi

  12. Comentário by Stephanie on 15 de junho de 2013 at 1:05

    Professor João, sou sua aluna no Damásio, unidade Maceió-AL.
    Tentando utilizar sua explicação aqui no blog, fiquei em dúvida ao responder essa questão de uma prova bem antiga (2001) do TRF 1ª Região, feita pela FCC.

    Considere os seguintes casos:

    I. Os homens, que ignoram os direitos da mulher, passarão a acatá-los. Os homens que ignoram os direitos da mulher passarão a acatá-los.

    II. Somente, agora o Código Civil brasileiro incorporou as mudanças ocorridas. Somente agora o Código Civil brasileiro incorporou as mudanças ocorridas.

    III. O valor de um código, estabelecido por convenção, deve ser comprovado na prática. O valor de um código estabelecido por convenção deve ser comprovado na prática.

    A alteração na pontuação provoca alteração de sentido em

    a) I, somente.
    b) I e II, somente.
    c) I e III, somente.
    d) II e III, somente.
    e) I, II e III.

    Gabarito: Alternativa “e”

    Stephanie

    ________________________________

    Stephanie,

    questão bastante rica em detalhes. Ela foge um pouco do padrão, pois apresenta fatos novos.
    Vamos à análise:

    I – Questão tranquila, pois está bem no centro do que trabalhamos no texto “O sentido nas orações adjetivas”.

    II – A palavra somente, advérbio, vai trazer um valor de restrição a depender do vínculo estabelecido.
    Note um exemplo:
    Somente ele pagou (entre todos, só ele pagou) # Ele pagou somente (entre todas as ações ocorridas, ele só praticou o pagamento)
    É com esse recurso que a banca trabalhou.
    Com vírgula, “somente” vincula-se a “mudanças ocorridas”.
    Sem vírgula, “somente” vincula-se a “agora”.

    III – Agora é a vez do particípio “estabelecido”, construção equivalente a “que [o qual] foi estabelecido”. Novamente nasce o raciocínio das orações adjetivas
    com vírgula => explicativa => os códigos todos são estabelecidos por convenção
    sem vírgula => restritiva => entre os códigos, refere-se somente a “códigos” estabelecidos por convenção

    Como se nota, questão especial, pois reúne vários níveis de análise, todos eles muito difíceis.
    Ainda bem que não é recorrente, mas se deve ficar atento.
    Bons estudos e boa sorte,
    João Bolognesi

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>